ÚLTIMA HORA

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Polícia Federal apreende turmalina paraíba no RN e vai investigar possível crime

Uma operação da Polícia Federal na Paraíba resultou na apreensão de pedras turmalina paraíba nas cidades de Parelhas e Natal, ambas no Rio Grande do Norte, na manhã desta quarta-feira (10). As pedras foram recolhidas e a Polícia Federal vai analisar uma possível extração irregular delas no estado.

As pedras estavam na sede de uma empresa mineradora da região onde as turmalinas são encontradas, que fica na divisa da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Durante a operação, não houve prisões ou apreensões de suspeitos.

De acordo com o delegado Raone Aguiar, da Polícia Federal na Paraíba, agora, as investigações vão ser realizadas para saber qual a procedência das pedras e analisar se elas teriam sido extraídas ilegalmente da Paraíba.

“Cumprimos apreensão na sede de uma empresa mineradora e encontramos as turmalinas. Elas foram recolhidas e serão encaminhadas para depósito junto ao sistema bancário. Iremos analisar a procedência das pedras para saber a origem e, caso elas tenham sido retiradas ilegalmente da Paraíba, vamos prosseguir com a investigação para encontrar os responsáveis e puni-los”, afirmou o delegado.

Extração da pedra repercutiu nos EUA

Em junho, uma reportagem feita pela agência de notícias Reuters com o título 'Brazilian mines produce world's priciest gems under fire' (Minas brasileiras produzem as mais caras gemas do mundo ‘sob fogo’, em tradução livre) e o jornal norte-americano The New York Time reproduziu o texto.

Na publicação, a agência faz um apanhado das principais questões referentes às investigações sobre irregularidades na extração da pedra, desde fraudes na produção apuradas pelo Ministério Público Federal, às péssimas condições de trabalho às quais seriam submetidos os mineiros.

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2016 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br