ÚLTIMA HORA

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

CAMALAÚ: Vereadora acusa prefeito de perseguição por corte em seu ponto

A vereadora, Audenice Chaves, de Camalaú, disse nesta sexta-feira, 12, que o corte no seu ponto no seu local de trabalho na prefeitura municipal de Camalaú foi uma retaliação política após ela ter feito denúncias contra a gestão municipal.

“Eu comuniquei ao presidente do Conselho Tutelar minha ausência. Tiraram meu salário por que eu denuncie licitações fraudulentas e contratação irregular”, explicou a vereadora, que acusa o prefeito de perseguição política. 

Nicinha, como é mais conhecida, é irmã do ex-prefeito Aristeu Chaves, adversário do atual prefeito Sandro Môco, e exerce o cargo de assistente social concursada no município. 

A vereadora teve seu ponto cortado durante o mês de outubro, e o prefeito afirmou que a parlamentar só justificou as ausência no mês de abril, e passou 30 dias sem comparecer ao local de trabalho. 

Com informações do MaisPB

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2018 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br