ÚLTIMA HORA

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Estudantes criam aplicativo de compras virtuais para comerciantes de Monteiro

Três estudantes da rede municipal de Monteiro, sendo uma com 13 e duas com 14 anos, provam que não existe idade para começar a empreender. Por meio do Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), desenvolvido pelo Sebrae Paraíba em parceria com as redes de ensino de três municípios do estado, as jovens de Monteiro criaram o Montstore, um aplicativo de compras virtuais que consegue unir a praticidade da internet ao conforto de comprar sem sair de casa – tudo isso fomentando o comércio da própria cidade.

Com a disciplina “Novas ideias – grandes negócios”, aplicada aos alunos do 9º ano da Escola Municipal Tiradentes, a proposta era estimular a criação de um produto ou serviço com foco na inovação e empreendedorismo. Assim, surgiu a ideia de criar um aplicativo que fosse ideal para a realidade de Monteiro. “Entrevistamos compradores e comerciantes da cidade, que gostaram da ideia porque iria facilitar o dia a dia. As categorias que identificamos que seriam mais interessantes para venda no aplicativo foram vestuário, produtos de limpeza e de cama, mesa e banho”, explicou a estudante Jennyfer Maria, uma das criadoras do aplicativo.

Por meio do aplicativo, que pode ser baixado no próprio smartphone e estará disponível tanto para o sistema Android quanto iOS, o interessado poderá efetuar a compra no cartão de crédito ou débito, ou à vista, e receber o produto escolhido. “Mais de 70% dos comerciantes entrevistados demonstraram interesse. A idade não é exatamente um problema, mas por termos menos de 18 anos, dificulta um pouco. Porém, no dia a dia os professores nos auxiliaram a registrar a ideia e o nome Montstore no cartório. Sou filha de comerciante e pensei na ideia do aplicativo, que facilitaria as vendas. Junto com as meninas, aperfeiçoamos a ideia”, esclareceu Nayara Quaresma, integrante do grupo responsável pelo Montstore.

O aplicativo, assim como outros projetos que resultaram do Programa JEPP, será apresentado durante a Feira de Empreendedorismo, que será realizada na manhã da próxima sexta-feira (30) no Centro Cultural Alexandre da Silva Brito, que fica em Monteiro. “Minha expectativa maior é que na apresentação possamos conquistar investidores que se interessem no nosso projeto. A partir deste trabalho, conseguimos compreender que o empreendedor não é só aquele que implanta uma empresa ou um negócio, mas sim aquele que planeja antes de entrar em ação. Então, pretendo continuar planejando, não só na minha vida estudantil, como também na futura profissão”, afirmou a estudante Iasmim Bezerra, que também criou o aplicativo.

Além de Monteiro, os estudantes dos municípios de Boa Ventura e Queimadas que foram atendidos pelo programa também vão apresentar os resultados obtidos em feiras que serão realizadas, respectivamente, nos dias 1º e 7 de dezembro. Conforme levantamento do Sebrae Paraíba, em Monteiro foram capacitados 60 professores, beneficiando 550 estudantes este ano e com previsão de mais 550 em 2019. Em Queimadas e Boa Ventura, 28 professores de cada cidade foram capacitados pela instituição, beneficiando, respectivamente, 1.100 e 550 estudantes do Ensino Fundamental.

Projeto também atende Ensino Médio, Profissional e Superior

O projeto de Educação Empreendedora também atende aos estudantes do Ensino Médio da rede estadual. Em 2018, a metodologia Despertar foi aplicada em 13 escolas, beneficiando 525 estudantes. No total, foram capacitados 39 professores de forma presencial e seis à distância. O Ensino Profissional, por sua vez, foi contemplado com a disciplina de empreendedorismo na educação profissional, com 13 professores capacitados e 96 estudantes participantes, por meio de uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai). Já nas universidades, a exemplo de UFPB, IFPB, Uninassau, Unifacisa e Iesp, foram realizadas ao longo do ano oficinas de Mindset Empreendedor, On Board e o quadro Modelo de Negócios.

“O programa de educação empreendedora tem o objetivo de levar a cultura empreendedora para o ensino formal. Essa disseminação da cultura é muito importante para fazer com que o aluno seja protagonista das suas ações, que se conheça e aja da maneira mais empoderada possível. Sabemos que o foco do empreendedorismo é gerar algum tipo de negócio, mas não é o desse projeto. No entanto, ele tem gerado ideias maravilhosas e que tem superado nossas expectativas”, frisou a gestora do programa de Educação Empreendedora do Sebrae Paraíba, Nelijane Ricarte.

A consultora do Sebrae Paraíba, Patrícia Barros, responsável por aplicar a metodologia JEPP no município de Monteiro, destaca que a disseminação do empreendedorismo desde cedo ajuda a fortalecer a cultura empreendedora. “Embora a cidade tenha cerca de 38 mil habitantes, as meninas viram que havia a necessidade de comprar sem sair de casa, além de perceberem a tendência das startups e negócios digitais. Então, elas já estão pensando no futuro e inovando desde agora”, afirmou.

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2018 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br