ÚLTIMA HORA

domingo, 19 de janeiro de 2020

Antes do Carnaval, lideranças políticas antecipam debate sobre Eleições 2020 na Paraíba

Se em pleitos anteriores as lideranças políticas deixavam para apresentar suas movimentações políticas para as eleições só após o Carnaval, em 2020 o tabuleiro começou a ser montado nestes primeiros 20 dias do ano. Em João Pessoa e Campina Grande, em que os dois prefeitos – respectivamente Luciano Cartaxo (PV) e Romero Rodrigues (PSD) – não disputam a reeleição, mas pretendem, claro, deixar sucessores na cadeira, a corrida por espaços e alianças está em ritmo acelerado.

Embora diga que vai deixar a colocação de nomes para após a folia de Momo, o líder do Partido Verde (PV), Luciano Cartaxo, já iniciou as tratativas da legenda para lançamento de candidatura própria. O partido se reuniu no último dia 11 de janeiro e fechou que terá candidato, já que é prioridade da Executiva Nacional vencer as eleições no maior número de capitais possíveis. O nome, especula-se, deve sair do próprio núcleo de auxiliares do prefeito e giraria em torno de três secretários: Diego Tavares (Desenvolvimento Social),  Zennedy Bezerra (Desenvolvimento Urbano) e Daniela Bandeira (Planejamento).

Alinhado politicamente na capital, o PSDB também estaria de olho na cadeira de Cartaxo. A Executiva Estadual iniciou os preparativos para as eleições de outubro com a elaboração de uma campanha de filiações em todos os municípios do Estado, principalmente João Pessoa e Campina Grande. Apesar de terem correligionários na equipe do prefeito e de circularem com o nome do ex-prefeito Cícero Lucena como possibilidade para outubro, a tese oficial é do nome do deputado federal Ruy Carneiro para a disputa na capital.

Ainda do grupo aliado, o vice-prefeito da capital, que é também presidente estadual do Solidariedade, Manoel Junior, também corre por fora e já demonstrou o interesse em enfrentar o pleito. A pré-candidatura é fruto de uma orientação do partido em lançar nomes nas Eleições 2020.

João
Afastado politicamente do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), o governador João Azevêdo, ainda sem partido, poderia ser mais um possibilidade de aliança com o grupo de Cartaxo. A nomeação do vereador Tibério Limeira (PSB) para a estratégica secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano, entretanto, gerou especulações de que, para evitar alianças comprometedoras com o seu projeto político, lançaria candidatura própria.

Do mesmo grupo político de João na esfera estadual, o PTB e o Podemos resolveram marchar juntos para as eleições deste ano em todo o estado. Uma das possibilidades na capital é o lançamento do nome do deputado estadual Wilson Filho (PTB) para a disputa. Nas eleições municipais passadas ele tentou ir para o confronto, mas terminou como vice de Cida Ramos (PSB) e saiu derrotado.

Já o antigo partido de João, o PSB recuou nas movimentações para projetar o nome de Ricardo Coutinho como futuro candidato do partido para prefeito, após os últimos desdobramentos da Operação Calvário, denominada Juízo Final, que resultou na prisão do ex-governador. Para completar as indefinições, Ricardo deixou o comando da legenda na Paraíba que passou oficialmente às mãos do deputado federal Gervásio Maia (PSB). O novo presidente do PSB, inclusive, passou a ser apontado como possibilidade para substituir também Ricardo Coutinho nas urnas em outubro.

Direita e esquerda
Uma terceira via que se forma na capital é no campo da direita, com o PSL, antigo partido do presidente Jair Bolsonaro. Neste grupo, desponta tanto com o nome do deputado cabo Gilberto, que está em seu primeiro mandato, como o do radialista Nilvan Ferreira.

Na outra ponta, partidos da esquerda também já formularam resolução em torno da candidatura própria. O PCdoB anunciou no último dia 11 de janeiro que terá candidatura própria à prefeitura de João Pessoa e apresentou quatro nomes que vão disputar internamente esta vaga: o ex-deputado estadual Simão Almeida, o ex-secretário do Procon, Marcos Santos, o radialista Jonildo Cavalcanti e a advogada Gregória Benário, que disputou uma vaga na Câmara Federal no último pleito.

O PSOL realiza neste final de semana o 1º Seminário Programático Eleitoral do partido no estado, o evento dá o ponta pé inicial para as eleições de 2020. O afastamento de políticos e partidos da base aliada do presidente Jair Bolsonaro é uma das preocupações da legenda.

Campina Grande
Em Campina Grande, aliados do prefeito Romero Rodrigues disputam o posto de escolhido para a sucessão. O ex-deputado Bruno Cunha Lima, por exemplo, se antecipou e deixou a chefia de gabinete do prefeito de olho na vaga.

Quem também tenta espaço para concorrer como candidato é o deputado Tovar Correia Lima (PSDB), atualmente na pasta de Planejamento e Gestão de Campina Grande. Fechado com a candidatura própria na Rainha da Borborema, o nome do deputado federal Pedro Cunha Lima, que é atualmente o presidente estadual do PSDB, é outro colocado como forte possibilidade para a disputa.

No campo das oposições, PTB e Podemos estarão trabalhando o nome da secretária de Desenvolvimento e Articulação Municipal do Governo do Estado, Ana Cláudia Vital do Rêgo, como pré-candidata à prefeitura de Campina Grande. Ela é esposa do senador Veneziano Vital do Rêgo, que já foi prefeito da cidade.

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2019 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br