ÚLTIMA HORA

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Dirigente de clube paraibano diz que foi ameaçado de morte após recusar esquema

Nem bem começou e a nova edição do Campeonato Paraibano de Futebol já está sendo colocada sob suspeita.

Em áudio que circula nas redes sociais, o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, revela ter sido procurado por um homem disposto a fazer “safadeza de máfia de jogo”. Ao se negar, o dirigente insinua que teria sido ameaçado e estaria correndo risco de morte.

Ainda de acordo o dirigente, o suspeito é alguém conhecido no futebol paraibano. Aldeone ainda se queixa da presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michele Ramalho, que não teria atendido seus telefonemas para averiguar o caso.

Abrantes conta que foi procurado pelo suposto homem no hotel onde o Sousa estava concentrado para a partida contra o Sport Campina, na noite dessa segunda-feira (27), em Campina Grande. O Dinossouro venceu por 1 a 0.

Há dois anos, o futebol paraibano foi marcado pela deflagração da Operação Cartola, que desvendou um esquema de manipulação de resultado nas últimas edições do certame local. Dirigentes do Botafogo-PB e Campinense foram banidos, além de árbitros e do então presidente da FPF, Amadeu Rodrigues.

Michele Ramalho, que substitui Amadeu, teve uma eleição bastante contestada em 2018, com a suspeita de ter fraudado votos.

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2019 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br