ÚLTIMA HORA

quinta-feira, 5 de março de 2020

Vereadores de São João do Tigre discutem desmonte da política de assistência social no Brasil

Nesta Quinta-Feira, 5 de março, a Câmara de Vereadores de São João do Tigre, discutiu os efeitos dos cortes promovidos pelo o Governo Federal no financiamento do Sistema Único de Assistência Social no Brasil e os efeitos diretos na população mais pobre do país.

A sessão foi marcada pela grande presença de usuários e trabalhadores do SUAS de São João do Tigre, Camalaú, Monteiro e Zabelê. Estiverem Presentes, além do Secretário de Assistência Social de São João do Tigre, Elisandro de Andrade, a Secretária de Assistência Social de Zabelê, Cíntia Roberta, representantes das Secretarias de Asistência Social de Camalaú e Monteiro, além de profissionais de saúde destes municípios.

Na ocasião, o Secretário Elisandro de Andrade apresentou o cenário de quebra e descontinuidade do financiamento do SUAS, o impacto negativo sobre as populações em risco e situações de vulnerabilidade social, alertou para o desencadeamento da crise no setor em todo o país. Os Secretários solicitaram dos vereadores e demais agentes políticos locais que se unam na defesa dos serviços, programas e projetos sociais já existentes no país.

Segundo os Secretários (as), a queda de mais de 45% no orçamento da Assistência Social no Brasil impedirá o pleno funcionamento e ocasionará no fechamento dos CRAS, CREAS e etc. em todo o país.

A presença de grande público na sessão deixou os vereadores, tanto de situação quanto de oposição, sensibilizados com a situação vivida. O Presidente da Câmara, Vereador Arnobio Pereira de Melo cobrou maior atuação dos parlamentares em defesa da Assistência Social, onde todos os vereadores (as) se comprometeram a atuarem juntos à bancada federal da Paraíba em Brasília, no sentido de reverter o quadro de crise.

O Secretário elencou que nos próximos dias estará fazendo diversos ajustes nos serviços socioossistenciais do município de São João do Tigre, visando adequar-se a um cenário "sombrio e de desmonte" numa política pública tão necessária ao país. Frisou que por hora não cogita nada além de redução dos serviços, mas que a demissão de profissionais da Assistência Social poderá ser uma realidade que os municípios, sobretudo de Pequeno Porte I, terão que enfrentar nos próximos dias.

Postar um comentário

Não serão aceitos comentários de cunho pejorativo, obsceno, racista e ofensivo. Comentários abusivos, odiosos ou difamadores de qualquer pessoa ou instituição serão igualmente desconsiderados.

 
Copyright © 2013 - 2019 Cariri da Gente
E-mail de contato: cariridagente@bol.com.br